30 de nov de 2010

lembrei de esquecer,

Um amor esquecido entre as caixas do porão. Como um velho álbum de fotos da adolescência. Nunca cansamos de relembrar. Embora o tempo se encarregue de afastar o presente para a linha cronológica do passado, as marcas permanecem eternamente. Dentro de mim. Dentro de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blogroll