27 de dez de 2009

A metade de um



"Você vai encontrar a sua metade"
"Você vai encontrar alguém pra você"
Quem nunca ouviu isso na vida?
Mas me pergunto... Todos nós temos mesmo uma única metade? Todos nós somos predestinados a vivermos a vida toda com alguém que vai nos completar?

Então, como se explica casamentos incriveis e felizes que acabam por culpa da rotina?
Muitos casais são muito felizes durante o relacionamento. Tá certo que não duram a vida inteira, mas parte dela é completa com esse outro alguém. Muitas pessoas sao felizes em mais de um casamento.
Como se explica isso?
Se nós possuimos uma outra metade no mundo capaz de nos fazer feliz como mais ninguém. Como podemos encontrar essa mesma felicidade em tantas outras pessoas?
A questão não é se fomos felizes antes. E sim, se somos apenas a metade de um inteiro.
Passamos a vida ouvindo comentários e consolos que nos fazem acreditar nisso. Mas, todos podemos ser felizes sem um amor desses de cinema. Não estou dizendo que posso ser feliz sozinha. O que quero ressaltar é que nós podemos sim encontrar um complemento em outra parte da vida.
Quantos médicos não se sentiram realizados ao salvar uma vida? Quantos palhaços não alcançaram a sua meta ao fazerem uma plateia rir até doer a barriga?
Nós podemos alcançar essa alegria perfeita em muitos momentos da vida. E isso não significa que o fato aconteceu devido à alguém que nos acompanhava. Pelo contrário, foram as situações e atitudes que fizeram esses segundos serem incríveis.
Não somos metade. Somos um inteiro.
Não precisamos de um alguém para completar nossa vida e nos fazer feliz. Precisamos de muitos.
O amor não é eterno, é momentâneo. É diferente para cada um de nós. Ninguém é capaz de amar da mesma forma ou com a mesma intensidade pessoas diferentes. Mas essas diferenças são só algumas vírgulas do texto.
Somos feitos de amor , de ódio, de insegurança. Somos feitos de sentimentos. E o amor é apenas mais um deles. Não devemos colocá-lo acima de tudo. O amor acontece sem que seja planejado.
Não tente descobrir quando ou quem você vai amar. Porque a graça do amor é simplesmente sentir.
Não tente amar mais do que a si mesmo um outro alguém. O amor-próprio é a base de todos os outros sentimentos que seguram a nossa vida.
Somos livres para amar a muitos. Somos livres para errar. Somos livres para sermos felizes com cada amor que possuirmos durante a vida.


;*

25 de dez de 2009

Medo do escuro


Quando um barulhinho no meio da noite nos acorda, é inevitável... Quem nunca precisou acender a luz do quarto ou então uma lanterna para verificar se o local estava livre de monstrinhos que atire a primeira pedra!
Todos nós sentimos um medinho do escuro alguma vez na vida. Nem mesmo o Chuck Norris se livrou daquela ansiedade ou desconfiança do escuro. Isso acontece porque nunca sabemos o que podemos encontrar lá. Fomos muito mal acostumados a avaliar o mundo através dos olhos e acabamos de certa forma ignorando todos os outros sentidos.
O medo de escuro é um dos temores mais comuns entre os seres humanos. A boa notícia é que a maior parte das pessoas consegue vencer esse medo com o tempo. A má noticia é que deixamos pra trás um tanto de aventuras interessantes imaginadas no escuro.

Com o tempo vamos nos acostumando com o mundo em que vivemos, e deixamos de admirar a maior parte das coisas. Quando somos pequenos, não encontramos explicações para nada. Simplesmente achamos tudo lindo e incrível. Não procuramos entender nada. Simplesmente sentimos e pronto.
Já quando estamos crescidinhos, temos a chata mania de encontrar explicações cientificas e lógicas para tudo que nos cerca. Quando aprendemos que as coisas não mudam no escuro, deixamos de sentir medo do que não vemos. Ou pelo menos em parte.

Isso acontece com quase todas as pessoas. E para nós, o medo de escuro é tomado como um temor infantil.
Mas em uma noite de tempestade, sozinho em um apartamento escuro...A porta do armário se abre sozinha... Você fecha os olhos e quando os abre, volta a ser criança. Um arrepio na espinha é inevitável!
hehehehe

Blogroll