22 de jul de 2010

- Geração delícia

Hoje senti um aperto no peito. Como um aviso de "há vagas".
Estar disponível significa que estou vazia agora. Significa que não tenho motivos que preenchem minha alma. Isso poderia ser dramático ou realista, depende de como você encara o mundo.
Estive pensando, e cheguei a conclusão de que as pessoas sentem-se cada vez mais sozinhas. De todos os programas com auditório na televisão, no mínimo 20 deles tem um quadro com relacionamento amoroso. às escuras, na cara-de-pau, pela conversa ou até só no beijo. Mas, estamos tão incapazes assim para precisarmos de uma programa de televisão para nos indicar a pessoa ''certa''? Ou será que estamos tão inflexíveis, ocupados e preocupados com a mídia, o status, a fama, que passamos por cima de sentimentos alheios para conseguir o sucesso desejado?
De qualquer forma, eu percebo que a minha geração, é CARENTE. Não só de educação e limites, mas de garra, interesse, inteligência. Minha geração não tira a roupa para se opor contra os maus políticos, mas faz isso em festas, quando bebem e deliram. Minha geração não grita nas ruas por mudanças, mas faz ecoar letras de funk que não condizem com respeito, sabedoria ou integridade. Minha geração luta sim, por um salário mais bem pago, por um horário de trabalho reduzido e um ensino mais light. E tudo é encarado como normal.
Se comentamos negativamente sobre a nossa geração, ouvimos suspiros lamentáveis e comentários tão pouco construtivos, como se faz com um negócio perdido da empresa. E os jovens continuam lá, beijando, bebendo e se drogando. E os pais continuam suspirando e esperando mudanças.

Mas o que se pode dizer dessa geração lamentável, quando ela surge em uma sociedade ainda mais lamentável? Calam-se as más linguas e as boas também.
Já passamos do ponto há muito tempo, mas ainda estamos esperando que chegue ao limite, para olhar para trás e suspirar lamentos de "poderia ter sido diferente''.
O que precisamos? Para começar, precisa-se de JUÍZO. Um juízo que não se compra, nem se aluga no mercadinho da esquina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blogroll