21 de jun de 2010

- uma verdade sobre minha alma.

Daqui a setenta anos, se ainda estiver neste plano, estarei velha. Esquecerei de coisas simples como meu próprio nome, ou talvez a chave na porta. Sentirei o peso do cansaço, da solidão e da saudade. Ficarei cada dia mais acomodada, até que meu corpo física já nao resista ao poder do tempo.
Mesmo assim, enquanto estiver definhando-me nas linhas sombrias da morte,  eu sei que sussurrarei um único nome dentro de mim. Ainda assim, sei que uma lágrima dolorosa de saudade brotará em minha alma.
E mesmo com medo do fim e arrependimentos da vida, eu lembrarei de um único rosto. E sei, que mesmo que levem-me rapidamente, não haverão de arrancar-me o pouco que me resta de vida.
Talvez eu vá, mas sei que enquanto estiveres aqui, não morrerei em teu peito. Por que o amor, amigos... O amor é inevitável e imortal.

2 comentários:

Blogroll